Arquivo | junho, 2010

Últimos minutos de Junho

30 jun

Ecoa em mim as últimas palavras, ecoa no ar o resultado do nada.  Não ecoa em você por não querer. Não ecoa em você por ser uma farsa. Feche o livro de conto de fadas. Não era uma vez, tampouco foram felizes para sempre. Espere, não saia sem antes eu te parabenizar, querendo ou não, tenho que confessar, você sabe muito bem como jogar. Traçastes as melhores artimanhas, decifrou os melhores códigos e levou minha alma em troca.

Devolva-me, você não tem o que fazer com ela. E sobre os retratos? Devolva-me, faço questão de jogar pela janela. Ah, os bilhetes? Isso é trabalho do fogo que acendeu aquela vela. Coloque as emoções em modo off – se é que em algum dia você deixou em mode on -, em qual esquina você se perdeu, que caminho foi esse que já esquece? Me esqueceu, se esqueceu, nos esqueceu, mas eu lembrei antes que minha memória pudesse falhar. Eu disse sempre estarei aqui, você disse nunca deixarei isso mudar. Talvez nesse dia tão distante a certeza foi a única a se ausentar.

Mas eu realmente estava ali. Já você, eu não sei, queria tanto saber o dia em que realmente esteve aqui. Não digo sobre o teu corpo, mas sobre o que há dentro de ti. Seria o mesmo estar contigo e estar com ninguém. E se puderes me fazer um favor,não me chame de meu bem. Até então, seu timbre me confortava quando eu procurava proteção. Agora, não posso mais ouvir a tua voz, capaz que eu perca a noção.

Eu não quero viver pra sempre. Quero que o sempre viva em mim. De algum modo eu prossigo, em início, meio ou fim.  Eu prometi não errar. Você prometeu não me deixar.

Não prometemos cumprir as promessas.

Sorte de hoje

27 jun

Sorte de hoje: Faça feliz quem está perto de você e os que estão longe se achegarão

Assistindo a subida da montanha-russa, enquanto a roda gigante continua rodando, estou apenas no parque, sem diversão. Por onde anda a emoção da velocidade do carrinho? E o romance da vista lá de cima? Eu só pedi uma noite, mas não ganhei nem um dia. Minha playlist está falhando, qualquer música é mais agitada do que deveria, sinto falta do balanço que o balancê fazia enquanto a brisa brincava com os meus cabelos. Não tenho nada para dizer, não tenho nada para fazer, tudo se tornou tão entediante desde o instante que não há nada nem ninguém por perto.

Como fazer feliz quem está do meu lado se esse alguém me deixou de lado? É complexo dizer assim, mas o que fazer se é a verdade que eu carrego? Guardo as lembranças sabendo que nunca deixarão de ser velhas lembranças, não ouço mais as velhas novidades, porém continuo revirando o passado e fazendo dele minha melancolia diária antes de dormir. Você deveria ser meu, você podia ser meu, você nunca foi meu. Sempre criei essa situação e acabei vivendo-a mais do que deveria, do lado de fora eu esqueci outra vida, não posso voltar atrás.

Oh, baby, você não concorda que eu deveria esquecer essa situação e até comemorar com uma garrafa de champanhe? Talvez eu espero o ano novo, os dias se tornaram segundos, só agora me dei conta que perdi a hora. Não busco o amor, eu já o avisei onde estou, esperei tanto, posso esperar mais até ele me encontrar. Se tem alguma possibilidade de dar errado, vai dar, por isso não procuro e nem corro mais. Hoje eu só ando e andando sem rumo boto as coisas no lugar.

Cheguei a conclusão de que é errado dizer ‘eu estou sozinho’, abrimos mão de nós mesmos por outra pessoa. Eu não estou sozinha, nem nunca vou estar. Sorte de hoje, talvez você esteja certa, eu tenho que me fazer feliz.

Os outros nunca deixarão de ser meros outros.

Eu só liguei para dizer que não ligarei mais

26 jun

Me ensina como se joga, se são  com cartas ou botões, quantas casas eu ando se eu apontar as ilusões? Só pode ser um tabuleiro, só pode ser um jogo, o problema é que esqueceram de me avisar que eu estava jogando. E no final, quem foi que perdeu? Ganhei um belo pote de mentiras, concluo, então, que não fui eu.

Não vai mudar, não quero que mude. Eu sei que você vai precisar de alguém que te escute, desta vez procure um travesseiro.. enquanto isso eu estarei dançando pelo meu quarto sem saber se incomodo o vizinho, quero mais que essa música enlouqueça meus ouvidos, eu rio ao lembrar de você sozinho. Culpe a raiva, o fim ou o rancor. Tente me falar sobre o que restou, você não vai conseguir, frisando, isso só me faz rir.

Mais uma canção inútil, mais um surto, menos dois. Antes, agora e depois, essa linha cronológica não me leva a nada. Menino, você precisa crescer, menino, você não sabe o que é perder. Abrace o tempo, ele vai te segurar, eu pisei em cima do meu relógio, não tenho como me salvar. Nem mesmo o frio me faz tremer tanto quanto te ver desaparecer. Estapeio minha face, este pesadelo está fora do meu travesseiro. Desta vez o céu não está tão estrelado assim, desta vez as luzes do prédio em frente ao meu se apagaram mais cedo, não deveria me questionar o motivo, se resume no castigo.

Sem novos erros, me perdoe pela hesitação, só fiz questão da despedida para buscar outra saída.

Me encontre agora na caixa postal. Bipe.

No meio do caminho

26 jun

Seguindo os teus passos, perseguindo o teu cheiro, desatando nós e laços, balançada com os acasos, revirando meus anseios. Existe alguma razão para estar aqui, existe alguma razão para sair? Mergulha em motivos e sequer sabe nadar, erga sua mão, quando quiser, você sabe que eu vou te salvar. Não sei se te procuro ou se espero você me achar.

Queria saber das contradições, queria saber dos perdões, queria saber mais sobre você. Quem é você que não diz nada? Qual é a dos teus olhos que me disse tudo? Em vez de falar meu nome, apenas sorriu. Segundos suficientes para atormentar minha mente. Há dois dias eu estava pensando na melhor maneira de revidar, na vingança mais fria e mirabolante que alguém pode criar. Muita tragédia, muita ira, sete pecados seriam poucos e fracos. Há duas horas esqueci minhas ideias, perdi meus planos no meio do caminho que cruzei com você. Não sei teu nome, não sei aonde você mora, se quer saber, das minhas melhores fantasias tiro minhas melhores histórias.

Senhor destino, te peço apenas um reencontro. O mundo pode estar correndo, porém continuo caminhando lentamente, deixa eu sentir meus pés deslizarem pelo corredor, enquanto meu corpo tenta se elevar, nos meus sonhos eu posso voar. Voarei na direção dos teus devaneios, quero me perder no teu mundo, abri mão do meu, abri mão de tudo. Já posso ouvir sua respiração no meio do silêncio, me diz se é longe, me diz se é perto. Decerto será uma espera angustiante.

Como o ar eu quero estar ao seu redor, diga que lhe falta respiração. Dos sentimentos, apenas o melhor, diga que também busca o tal do coração.

Apenas pra mim

21 jun

Só encontro o que quero quando não estou procurando, deve ser algum carma presenteado pelo tal do senhor destino. É por ter tanto a dizer e na hora a voz falhar, é pela raiva me consumir, mas ao te ver, querer te abraçar, é pelos planos que deram errado, é por você que me deixou de lado. Não sei qual é minha crença, em minhas preces pedi um pouco de egoísmo, quem sabe assim eu pense mais em mim. Mesmo que as horas não combine com os minutos. A, B,C, D.. qual é a letra que vai ser? Eu sou um eu menos você.

As piores drogas te trazem os melhores vícios, fiquei extasiada com o jeito que você me silenciou. Eu só pedi uma distração e acabei me distraindo com você, com seus olhos me fitando e me deixando sem graça, com seus braços apertados me envolvendo. Ah! Eu adorava o jeito que você me abraçava. Você sabia tudo o que eu queria, nem era necessário eu pedir, me diz então, por que resolveu sair? E agora, é divertido ver suas calças voando pela minha janela? Mas então, gostou de ver a taça de cristal aos cacos? Deixa eu te mostrar, então, meu coração em pedaços.

Um preço caro a se pagar, juros, burocracia, taxas a cooperar. Eu te avisei que seria um tormento. Sem essa de brisa, sem essa de vento, não vão tirar o meu lugar. Entrarei nos teus sonhos e farei questão de transformá-los em pesadelos, tudo por amor, leia-se a dor. Muito drama para os teus ouvidos? Convide-me para o tango, treinei tanto com teus amigos. A diferença entre eu e a vilã das nove é que eu sou real.

Isso não é um pedido para voltar, isso não é um pedido pra deixar. Eu não esqueci, apenas não tive tempo de lembrar. Antes de dormir, releia meu bilhete, recorde-se que tudo que vai, volta.

Quando as luzes se apagam

19 jun

Eu não sei se podemos chamar isso de romance, eu não sei como rotular,essas idas e vindas, tão angustiantes. É saber que te tenho nos conforto dos meus braços, mas você pode ir embora em qualquer instante, não me dou ao luxo de fechar os olhos para não estar desprevenida. Acontece que já aconteceram tantas coisas e não passa nem de uma semana, de certo você receberá meu bilhete, nessas horas não existem brincadeiras de criança, a única semelhança é um castigo.

Deveria prever que minhas previsões iam falhar, o fato é saber até que ponto vale se cegar. Nunca soube, nunca saberei, finjo sorrir, você não vê, estou chorando por dentro, finjo aceitar, você não vê, custo a acreditar, finjo prosseguir, você não me vê, trocamos de lugar. Esta é a brecha para eu jogar gasolina nas tuas cortinas? Somente o fogo seria tão árduo e forte como nós fomos. Um balde d’água deslizou sem pedir licença, apague os vestígios, não é essa nossa essência? Eu serei a última a sair do teu velório.

Porque eu te matei em mim.

Provavelmente, estou morrendo junto, foi demais, foi sem pensar, foi errado, foi certo,foi incapaz. Saiba que eu guardei os teus presentes embaixo da cama, eu menti quando te disse que joguei pela janela, eu menti quando disse nunca mais fale comigo, eu menti te pedindo pra sair, eu menti achando que você não ia acreditar. Mas você aceitou tão fácil, eu não consigo mais dormir.  Quantas vezes isso vai repetir? Você só me respondeu ‘eu mudei’. A única diferença foi essa indiferença. Ela está nos consumindo.

Não foi como Romeu e Julieta, só que o gosto de veneno permaneceu nos meus lábios. Sem eu saber que era última vez. Bem que você podia ter me avisado antes, bem que você podia não ter feito. Agora não tem jeito, o pior dos erros foi ter medo de errar.

Estou no aguardo da redenção.

Memórias aleatórias

18 jun

Seus anjos vem te buscar, me desculpe
Esqueci minhas asas em outro lugar
Indo mais uma vez, sem saber se vai voltar
Queria voltar no tempo, queria não querer
Nascer em exclamações, viver em vírgulas, morrer em ponto final
Pensando bem, não pode ser assim tão mal
Fechando os olhos, fuga das palavras
Fechando a mente, não nos resta nada
Fechando a porta, são páginas viradas
Acusando e culpando a loucura
Essa insanidade não tem motivo
Prefiro abrir mão da cura
Se junto a isso eu não sentir mais esse frio
Já parou pra pensar que você nunca pensou
Visando aquela história de que eu te avisei
Insuficiente
Cadê você?
Cadê eu?
Cadê nós?
Viveria procurando
Morreria sem achar
Já estavam me avisando
Que não era para eu acreditar
É você quem parou?
Ou eu que fui longe demais?
Só sei que não volto
Não mais