Arquivo | maio, 2014

Enforcados

16 maio

Não existe nada nessa vida que vai nos fazer mudar. Mas será que existe algo que vai nos fazer ficar? Eu tenho dado diversas voltas, mas, de tonta, volto pro mesmo lugar. Estava lá, eu, tu e um punhado de ilusões. Estava lá, eu e tu ouvindo as mesmas canções. Meus dedos perdidos nas tuas mechas, o silêncio, o quase beijo.

Fechar os olhos e acreditar que nada e nem ninguém mudaria o que a gente sente e não grita pro mundo. Será que é esse o problema? Será que um dia vamos ter que deixar de ser mudo? Não sei se estou pronta para esse dia. Prefiro gritar em mim. Prefiro assistir você andando descalço na praia do que te chamar para sentar do meu lado. Prefiro ouvir tuas conversas do que te dizer ‘oi’. Eu tenho uma passividade sobre você que eu não sei explicar.

Diversas vezes ensaiei em carta aberta o que eu te diria se ao menos soubesse que tu imagina que eu (ainda) gosto de ti. Que eu gosto do jeito que você me abraça por 3 segundos a mais. Que eu gosto da sua falta de palavras que se mistura com a sua enorme vontade de falar. Que tu entende quando eu não tô num dia bom e não mente pra mim dizendo que vai ficar tudo bem o mais rápido possível.

Nós temos esse tempo que ninguém tem. Nós temos dias que ninguém vai ter. Nós temos tudo o que quisermos, se a gente quiser. Porém nós temos, também, o dom da destruição. Quebramos qualquer contrato ou combinado, quebramos alguns porta-retratos. Não tiramos fotos por medo de mostrar.

Criamos essa ideia de que ninguém precisa saber de nada. E agora? Fica assim, essa história de não ter história. Não posso te ligar no meio da noite e ouvir a tua voz agitada, porque a tua insônia é a tua melhor amiga. Não posso entrar na tua casa e perder meia hora te olhando enquanto você disserta sobre o seu filme favorito. Acontece que eu não pretendo ficar assim por muito tempo.

Diversas vezes eu avisei que estava de saída, deixei tudo arrumado para a próxima bagunçar. Por que é que a gente não consegue negar o olhar? Por que é que mesmo sem falar nada a gente se entende? E por que só a gente se entende? Tu tinha tudo para ter sido uma brisa passageira e se tornou um furacão na minha vida. 

E antes de dormir, no teu pensamento eu quero estar. Saudades do seu travesseiro. Do seu cheiro. De você.

Nós estamos enforcados, cheios de nós.