Arquivo | junho, 2014

Yin-yang

18 jun

Ponha os seus lábios nos meus, envolva teus braços na minha cintura enquanto eu subo os meus para a sua nuca. Ouça essa música, ouça a nossa música. Deixe-se ser levado pelo balanço e se envolva comigo. Vamos viver a noite mais incrível das nossas vidas e relembrar todas as vezes que a gente se encontrar. 

Eu faço o que eu tenho que fazer, mas não falo o que eu tenho que falar. Fica a dúvida entre umas garrafas, não demoro muito para ficar embrigada. E rir das coisas que não tem graça, você me olha como se eu fosse o seu quadro favorito. Estamos loucos e esse mundo está cada vez mais sano. E nós queremos in. Insanidade, insistência e impossibilidades. E nós queremos ir. Para onde ninguém foi, para onde ninguém vai chegar.

Porque você é jovem, rebelde sem causa. Porque você vive mudando de casa. Enquanto eu passo esse tempo todo te oferecendo um lar. Será que você entende a diferença entre um beijo e um desejo? Elas te desejam, eu te beijo. Causando a fúria coletiva, é como se tudo se destruísse quando ficamos juntos. Junta os teus pedaços com o meu e esquece o medo em outro cômodo?

Mas de fato é incômodo, esse chove mas não molha. Mas de fato te encontro em qualquer uma das minhas memórias. Então fica por isso mesmo, um amasso a mais, um passo a menos. A tua língua tem gosto de vinho barato e cigarro, o típico sabor de “cara errado”. Torço pelo dia em que você perceba que está enganado, que não adianta nada procurar a nossa noite em outro dia, em outras minas.

Você é o alvo e eu sou a bala. O tiro passa, mas a marca fica.