Arquivo | julho, 2015

Sobre fim sem começo

6 jul

Quebrei teu coração.

Quebrei teu coração sem dó, mas mesmo assim peço desculpas. Eu não estou num momento bom, sabe? Quer dizer, eu nunca estive num momento bom. E o teu foi só mais um no meio de mais um monte. Me acostumei com os cacos que eu deixo no meio do caminho. Eu não sei o que eu quero, mas eu sei o que eu não quero e, no caso, não te queria.

Perdeu a graça, eu não ria mais. Eu estava de saco cheio e você percebeu. O pânico começou quando eu não encontrava nenhum lugar que me deixasse confortável. Música alta não agradava, mas também não queria ficar sossegada num barzinho. ‘Cinema?’, você sugeria, só que eu não tinha a mínima vontade de te encontrar.  Acontece que nesse meio tempo eu me perdi.

A incrível caça de procurar algo que não se tem ideia. O batom vermelho ofuscava as olheiras, então tava tudo bem. Vítima era o que não faltava. Chuta o primeiro, marca o segundo, mata o terceiro. Mais uma terça-feira normal. No dia seguinte me abasteço com mais álcool e me torno o carro mais veloz. De curvas eu entendo e as regras eu não respeito. Você estava em casa, nunca se incomodou com as minhas saídas desde que eu não saísse de ti. Mas aconteceu.

Quarta-feira.

Estávamos na metade e eu não via a hora de chegar no fim.

A fumaça do cigarro proibido entreabria os meus lábios e eu não queria perder tempo dormindo. Merda. O despertador tocou, como ter um bom dia assim? Você faz planos pro fim de semana. Eu faço planos pro fim.

– Que tal o parque?

– (Mas eu não me divirto mais). Pode ser.

– Ah, acho que você não gostou da ideia. Bar?

– (De porre já basta você). Desde que não seja muito caro.

– Também podemos ficar em casa.

– (Eu na minha e você na sua? Melhor ideia). Ok, eu passo aí umas 20h.

Ironias à parte, você me encontrou na pior fase. Antes fosse o pior dia, era só dormir que passaria. Passei na sua casa, nos beijamos e fui embora enquanto você tomava banho. Mas só de sacanagem deixei meu cheiro no teu travesseiro. Quem sabe eu mude de ideia e volto.

Quebrei teu coração por puro egoísmo.

Cansei de quebrar a cara.